Insights on the go

Eu ultimamente tenho tido o estranho comportamento de procurar uma organização dicotômica em tudo. Isso logicamente falando é uma técnica muito eficiente para se descobrir problemas em camadas situacionais complexas porém claro que não para resolver estes.

Eu tava pensando a algumas horas o porque deu estar fazendo isso, saca  ? De onde brotou esse raciocínio dicotômico maldito? Certeza a minha de que não foram das minhas aulas de lógica tal menos das minhas pesquisas em psicologia relacional. Mas é estranho, pensar em dualidades cria laços cíclicos sobre propriedades de valor lógico mais elevado. O que eu quero dizer é que, nem tudo que é complexo pode ser desmembrado realmente.

Mas sabe, nem é isso que eu queria dizer aqui, foi mais um desabafo da minha incompetência em ser um ser-humano melhor, talvez sei lá, talvez.

A questão é que hoje né, primeiro dia do ano, estou demasiado emotivo por motivos cujo a natureza não posso fielmente determinar, talvez seja porquê 2011 foi a compilação das melhores coisas que aconteceram na minha vida, o melhor ano de todos.

Enquanto eu via os fogos de new year explodindo na minha cabeça, eu ficava lá pensando em tudo que eu fiz, tudo que eu deixei de fazer e tudo que eu deveria ter feito. 2011, foi talvez o ano mais genial de todos , acho que é por isso que naquele momento eu não queria me desprender dele, chorei , discretamente, enquanto vários de amigos fieis meus dançavam e riam logo de frente a mim.

Sabe, em 2011 acho que foi meu melhor ano como ser-humano social,  evolui demasiado mas ainda estou longe do que eu queria alcançar, errei bastante principalmente nesse ultimo dia, e tenho bastante medo que muito se perca em 2012.

Excelente, tudo acima disto foi escrito no primeiro dia do ano, quando eu estava determinado a escrever algo mais por problemas esqueci tudo que queria dizer. Enfim, depois desse dia se desencadeou uma corrente de problemas que resultaram em repensar muitos dos conceitos que eu tenho em minha cabeça. Acho que me tornei uma pessoa mais calma no fim das contas.

Na primeira semana de janeiro, conheci uma pessoa que me levou a achar que o mundo poderia ser um lugar melhor um dia, era um ser vivo bem único, daqueles que você sabe que tem um padrão próprio só de respirar no mesmo ar.

Lembrando disso, estou a falar aqui de unicidade,  como 60% das vezes que eu falo sobre qualquer coisa. Sabe, ser um individuo esta diretamente relacionado a uma palavra : autenticidade.

Mas o que significa ser autentico? Respostas variam baseados nos valores e necessidades do individuo que a responde. Nosso desejo de ser autentico reflete no nosso desejo de criar algo mais nas nossas vidas.

Por exemplo, se alguém que valoriza relacionamento mas não consegue falar para aquela amiga que tem uma queda, como se sente, então, ele vai ver sua face ‘real’ como alguém que pode ser aberto. Ele vai definir autenticidade como abertura e honestidade. Se um ser valoriza a liberdade mas se sente preso no seu trabalho ou até mesmo na sua vida, então este vai ter a visão da sua ‘face autentica’ como alguém que corre atrás dos seus sonhos. Esta pessoa vai definir autenticidade como ser verdadeiro para sim mesmo.

Pensando nisso agora e como eu defino autenticidade e você também, podemos concluir a relatividade do seu significado e a dicotomia do fato dela poder ser o que a gente é ou o que a gente não é. As definições de autenticidade tem pressupostos inerentes diferentes e alguns desses pressupostos na vida real podem fazer com que conquistar a autenticidade seja praticamente impossível.

Definições de autenticidade  

Definição 1: Ser autentico é ser você mesmo.

Hipótese : É possível não ser você mesmo.

Exemplo:

Você é um pouco tímido, porém você quer se tornar mais confiante para que você possa conversar com aquela gatinha(o) que você tem uma queda por meses. Você gosta da pessoa que você é. Você se considera bonito e atencioso, mas em algumas áreas você deseja que você seja melhor e do tipo que corre mais atrás do desejado.

Então onde esta a autenticidade nesse exemplo? É o seu verdadeiro eu, a pessoa tímida, ou a pessoa mais confiante que você quer ser?

Se autenticidade é definido como quem você é agora, isso não significaria apenas aceitar a pessoa tímida e quieta que deseja ser notava mesmo que isso te faça infeliz? Porém se autenticidade é ser mais a pessoa mais confiante, isso significa não ser você mesmo, o que quebra a definição 1.

Ser você mesmo não é nem escolher entre quem você é agora e nem quem você quer ser depois. Você é sempre você. Autenticidade nesse contexto é sobre aceitação. É aceitar quem você é e quem você quer ser. E claro, caminhar para que você seja o que quer que queira ser.

O problema com essa definição é que não existe ímpeto/impulso para a mudança. Aceitar você mesmo e os seus desejos não necessariamente se traduz em alcançar os mesmos. Então se você está infeliz sobre como você está agora, ser autentico nesse contexto não significa tomada de decisão.

Definição 2: Ser autentico é ser verdadeiro para si mesmo. 
Hipótese: Uma pessoa não tem valores em conflito.

Exemplo:

Digamos por exemplo que honestidade é um de seus valores mais altos. E outro deles é a harmonia. Então, alguém muito próximo de você lhe apresenta o amor da vida deste. Então você vê essa pessoa nova como alguém completamente detestável. Você ela tratando seu melhor amigo muito mal mas este não vê ou apenas diz que é algo bobo.

Então, se autenticidade é ser verdadeiro para si mesmo, isto não significaria que você sendo honesto deveria contar para o seu amigo que essa pessoa especial que ele está se encontrando é má para ele ou você se manteria calado para manter a harmonia e estaria preparado para quando o relacionamento do seu amigo morrer ajudar este?

E se seus maiores valores mais elevados são amizade e se tratar gentilmente? Essa nova namorada do seu amigo não só o trata mal como também é ridícula com você. Seu amigo e sua namorada estão sempre juntos esses dias. É autentico gastar tempo com seu amigo (amizade) ou ficar longe da namorada malvada do seu amigo (se tratar gentilmente)?

Diariamente entramos em situações conflitantes em que temos que escolher entre nóssos valores mais elevados como continuar no nosso trabalho ou escola (segurança) ou cair fora para outra cidade ou pais (liberdade). Sempre que temos que fazer uma escolha entre esses valores nós inconscientemente e até mesmo conscientemente perdemos nossa sensação de autenticidade, nós apenas sentimos que fizemos a melhor escolha no momento que nem sempre é a melhor escolha para nossos egos.

O problema notado com autenticidade definida como ser verdadeiro para si mesmo é que isso nem sempre te faz uma pessoa melhor. Relacionamentos tendem a sofrer quando ser verdadeiro a si mesmo significa seus desejos em primeiro lugar. Em um certo ponto, ser fiel a você mesmo se torna egoísmo e você tem que se sacrificar de parte de si mesmo para manter a paz.

Hipótese bônus: Seu melhor ‘eu’ / Sua melhor face é um estado fixo e não muda.

Exemplo:

Quanto eu tinha oito anos, eu queria ser um super sayajin. E foi isso que eu via como sendo o melhor para mim. Então, já que eu não sou um super sayajin, então isso significa que eu não estou sendo autentico?

Geralmente, ser autentico significa olhar para si mesmo e achar uma causa que se deixe liderar você. Isso pressupõe que você saiba seu propósito e que ele seja fixo. Existe uma razão que justifica o fato de muitos universitários mudarem de curso. Eles pensaram que sua causa era uma coisa quando declarada como foco mas então descobriram que não era o que queriam. Então se você  mudou seu foco você não esta sendo autentico porque você não seguiu sua verdadeira causa que deveria ser fixa?

Nesse contexto, autenticidade é tudo sobre agir. Se algo te perturba e você grita e resolve o problema, você está sendo autentico. Se você odeia seu trabalho, ser autentico significa se demitir. Se você não se importa com convenções sociais, você ignora elas e então continua a viver da maneira que você quer viver.

Entretanto, autenticidade como ação é limitado pela praticidade de agir. Não é todo mundo que pode se demitir do trabalho à qualquer hora, então isso quer dizer que aguentar um trabalho chato para pagar as contas de casa quer dizer que você não esta sendo autentico? Autenticidade precede a mudança. Você tem que ser autentico primeiro em ordem para fazer as mudanças ao invés de fazer as mudanças para depois se resolver autentico. A fim de ter mais você primeiro tem que ser mais. É praticamente impossível fazer o caminho inverso.

O Propósito de Autenticidade 

O problema genérico com a autenticidade é que existe muitas definições e conceitos mas poucas metodologias de como aplicar os mesmos. Se você quer ser incrível, genial, ser melhor, bem…  como você faz isso e se comporta perante a isso significa que você esta vivendo autênticamente até se tornar um melhor você ? Isso parece ser desencorajador para mim, afinal um caminho sem fim não merece ser trilhado.

O que me pareçe é que a gente esta desde pouco tempo atrás numa era da autenticidade onde todo mundo quer ser mais autentico, mais único como se autenticidade é a chave perdida para tudo que está segurando nós mesmos de algo maior. Como tantas coisas, nós temos esse problema concreto que estamos tentando resolver com nosso vago conceito de autenticidade.

Tony Robbins, atual mago da programação Programação Neuro-Lingüística, disse que nós verdadeiramente só queremos mudar 2 coisas: o que nós fazemos e como nos sentimos. Se nós não estamos vivendo em nosso total potencial, nós esperamos que desejando ser autênticos motive nós mesmos para viver ao máximo. Se nos sentimos tímidos, nós esperamos que desejar autenticidade nos ajude a ser mais confiantes. Em outras palavras, a ação de querer ser autentico é suposta a levar para ação. Entretanto Eu vejo que querer algo não necessariamente nos leva a fazer.

Para mim, autenticidade é um estado de conexão com nós mesmos sem os filtros e projeções que nós usamos para nos proteger. Autenticidade não deveria ser um objetivo mas sim um guia para alcançar as coisas que nós desejamos sobre nós mesmos, uma guideline para evoluir pessoalmente.

Autenticidade Como uma Emoção de Cunho Positivo

Eu meio que comecei definindo autenticidade como existindo nos meus estados emocionais positivos. Curiosidade, amor, conexão, coragem , empatia , etc. São apenas uma pequena amostra de todos esses estados emocionais. Quando eu estou com eles ativados é quando eu me sinto sendo meu verdadeiro eu.

Mas isso não significa que eu não estou permitido a me sentir triste ou solitário ou chateado, mas sentir essa emoções constantemente e  ainda constantemente estar num contexto de convivência com elas é totalmente diferente. Se sentir chateado constantemente não me faz me sentir autentico. Se você  está vivendo a muito tempo com seus estados emocionais ‘desencorajadores’, você começa a se sentir mais e mais desconectado à quem você realmente é. Somente se recontando aos seus estados emocionais positivos temos o poder de volta.

Vale ressaltar que essa conversa sobre estados emocionais positivos e não-positivos é totalmente relativa, eu mesmo discordo de mim mesmo quando falo que solidão é um estado negativo. Mas vale aqui seguir um padrão conceitual de cunho coletivo.

Existe uma metodologia que eu uso para trabalhar com tudo isso descrito aqui:

  1.  Escreva todas as emoções que você quer sentir cada dia
  2. Defina uma ação que você deve fazer para sentir aquela emoção
  3. Pense sobre, e aqueça a emoção na sua mente seja por 1 minuto ou por uma hora, visualize.
  4. Saia de frente do papel e faça o que tem que ser feito.

De fato, essa é uma metodologia padrão para trabalhar com muitas coisas, eu mesmo a uso. Na minha lista de coisas a resolver estava que eu precisava melhorar minha oratória então estou lecionando programação para o Trainees que estão entrando para empresa onde trabalho.

Um exemplo melhor definido:

Uma das minhas emoções positivas é a coragem. Ontem, no meu trabalho nós tivemos um almoço feito a partir de Noodles e teve 5 bandejas de sobras. Então , ao invés de se preocupar o que as pessoas pensariam de mim, eu peguei as sobras e levei para casa para meu jantar. Durante esses 30 segundos que eu levei para arrumar o macarrão de uma maneira fácil de carregar para casa, eu me senti corajoso de mim mesmo ao invés de pensar o que as pessoas pensariam de mim, não importa se elas pensam que eu sou ganancioso maluco por macarrão. Eu não tenho que pular de bang jump nem escalar montanhas para ser corajoso, mesmo que eu tenha feito isso alguma vez na vida isso não quer dizer nada. São as pequenas coisas, como chamar uma estranha para dançar que deveriam fazer e fazem eu me sentir corajoso. Mesmo que a estranha negue, nesses 10 segundos eu me senti corajoso e é isso que importa.

Isso tudo não é sobre tentar se sentir bem o tempo todo, até porque teremos rejeição de muitos alvos na nossa vida, e vamos nos sentir mal por isso. E também não é sobre evitar se sentir mal por causa de uma coisa que naturalmente nos faria se sentir mal. Lembre-se, chorar por estar de luto é uma coisa relativamente natural e positiva. Toda essa ‘doutrina’ que eu cito aqui não é sobre skipar essas emoções e sim trabalhar com elas para ser o que você quer ser.

Algumas vezes, minha conexão com algumas pessoas significa ficar conversando sobre coisas difíceis e grandes problemas que nos machucam e nos deixam irritados. O objetivo é sentir todas as nossas emoções positivas cada dia. É se construir como individuo afim de ter um repertório de vivência afim de expandir nossa mente, nossas escolhas, entender o que nos faz bem, feliz, triste e coisas e tal.

Eventualmente, seguindo o caminho de agir de maneira pequena cada dia para sentir nem que seja por pequenas períodos aquelas sensações que você realmente quer sentir , nos leva a tomar decisões e agir grandiosamente de uma maneira mais positiva sobre nós mesmos. Atrelar um alvo ou um objetivo à um conjunto de emoções é trabalhar para alcançar ele de forma única. Mas, melhor do que já atrelar um objetivo a isso tudo, é você apenas buscar as emoções por buscar, é como se fosse a arte pela arte pois no fim, tudo se encaixa e te encaminha para direção certa de como seu inconsciente quer que seja e que no fim é como você sempre quis que fosse.

É um caminho para liderar você mesmo. É uma camada de abstração para ser um individuo. Tudo depende de como você olha paras as coisas da vida e não como elas realmente são, lembre-se disso.

Aproveitando para finalizar aqui,  devo dizer que agradeço do fundo da minha alma a todos os meus amigos e pessoas que convivem comigo que me servem de objeto de observação. Me desculpem por não prestar e nunca ajudar vocês em nada, eu realmente sou egoísta.

Beijos e abraços.

Sobre AA

"Não sou tão careta quanto pareço. Nem tão culto. Não acredite em nada do que eu escrever. Acredite em você mesmo e no seu coração."
Esse post foi publicado em Filosofia, Vida e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s