The Game #3 – Comportamento x Resposta

3. Comportamento x Resposta

Thats it, mais um post na minha categoria preferida.

Devo tentar comentar aqui sobre o comportamento das pessoas, suas intenções e qualquer coisa relacionada a isso que eu não me lembro agora.

Vamos primeiro decompor a realidade: é a composição de uma cadeia continua de escolhas e a conseqüência dessas escolhas sucessivamente. Se a primeira escolha do seu dia é ir comprar pão, então todas as outras coisas que acontecerem no seu dia vão ser dependências em alguma maneira dessa escolha.

Mas entre duas escolhas porque tendemos escolher X no lugar de Y, ou Z no lugar de H? Pqp La me vou falando de escolha, vou acabar começando a recitar a teoria do destino de novo, e vai ser o maior rollback da minha vida.

Mas isso tudo, que na verdade é sobre relações humanas, se resume a uma coisa: intenção. É a intenção, que move cada passo, cada comportamento nosso. Se não houvesse intenção não haveria ação, não existiria vontade.

Por isso que a gente define uma máxima: “Todo comportamento tem uma intenção positiva.”

Bem, infelizmente essa máxima também se aplica a comportamentos ruins ou não produtivos. Com o mau comportamento, a intenção positiva por trás dele, chamada ganho secundário é obscura.

Já podemos tirar dae uma relatividade fundamental: comportamento ruim, bom, mau, justo, injusto é só uma idéia sobre um padrão, digo, é relativo a quem pratica. Justo na visão de um, exímio na visão de outro, ruim na visão geral, bom na contextual.

Mas voltando, ganho secundário é o beneficio que a pessoa obtém inconscientemente de um comportamento peculiar que é, em geral, considerado impróprio ou ruim. Por exemplo, uma criança pode bancar o palhaço da turma a fim de conquistar a aceitação dos seus iguais, embora os professores e pais considerem esse comportamento totalmente destrutivo.

Até o simples ato de chorar, é um comportamento de intenção positiva.

 “Tomemos Luisa como exemplo. Caçula de cinco filhos, Luisa sofria de dor nas costas há tanto tempo que nem lembrava quando começara, mas os médicos não entendiam a razão. A mãe de Luisa era uma mulher descuidada e egoísta que vivia mais interessada em festas do que na família. Quando criança, os irmãos de Luisa a ajudavam a carregar os livros e tomavam conta dela. A situação mudou para pior depois que a filha de Luisa nasceu, quando, então, o marido fazia as compras e cuidava do bebê. A menina cresceu para tornar-se a ‘pequena ajudante da mamãe’ e estava sempre à disposição da mãe. Quando Luisa, por fim, concordou em visitar um terapeuta, estava pronta a admitir que a dor nas costas era psicossomática. Ela percebeu que isto era a sua forma de conseguir amor e atenção que almejava da mãe, mas nunca alcançou.

O comportamento de Luisa é uma demonstração básica dessa máxima, como ganho secundário para ela era ter a família ao seu redor. Isso era o que ela queria de fato, era ter sua necessidade de amor e atenção suprida. Logo que Luisa compreendeu sua necessidade, também estava apta a entender que conseguia massiva de amor e atenção do marido e da filha. Um dos ‘efeitos do aspecto’ da terapia de Luisa era capacitá-la a entender que o comportamento da mãe era baseado nos problemas que ela mesma tinha, e Luisa não era culpada disso.”

                                                                                                                                                 -PNLFD

Enfim, se você pode entender a intenção positiva que é a causa do comportamento de uma pessoa de um modo particular, embaraçado, você pode aumentar sua flexibilidade e, por meio disso, aumentará sua habilidade para comunicar-se. Você pode então, ajudar a trocar um comportamento indesejado pela satisfação da intenção do seu comportamento em um caminho mais positivo.

Essa é a essência, do comportamento. Tudo que a gente faz tem uma atribuição positiva, se não fazer as coisas seria chato, ou então nem faríamos. Você já se perguntou por que você age da forma que você age? Até o seu comportamento que todos considerarem impróprio está ao seu beneficio!

Mas o grande problema na concepção das pessoas sobre esse é fato é que as pessoas esperam que todo comportamento delas promova exatamente o que elas desejem o que muitas vezes não é verdade.

A resposta para um comportamento pode ser tanto positiva quanto negativa, independente do comportamento. Apesar de claro, existir alguns com uma tendência a resposta mais positiva do que negativa, e vice-versa.

Entender que todo comportamento targea a positividade, podemos ser levados a entender que o verdadeiro altruísmo é inexistente ou muito raro, tipo raríssimo.

Na verdade,  altruísmo é um comportamento com intenção positiva também, mas como parte do seu preço temos uma resposta indesejada para um efeito secundário ou terciário desejado. Vale destacar, que intenção é uma verdadeira relatividade.

Mas lembre-se, devemos nos lembrar que as pessoas são muito mais do que apenas comportamento, mas isso fica pra outro dia.

Abraços.

Sobre AA

"Não sou tão careta quanto pareço. Nem tão culto. Não acredite em nada do que eu escrever. Acredite em você mesmo e no seu coração."
Esse post foi publicado em The Game Series e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s