Por que nos sentimos sós – PI

Um menino vai para sua mãe e diz: “estou entediado.”A mãe responde: “Então você deve parar de estar entediado.”

Esta lição aplica-se em variações diferentes. Se estou sozinho, então eu devo parar de estar sozinho.

Em alguma parte dos meus 18 anos, eu pensei que a solidão era resultado da disconectivadade(se essa palavra existi-se ela significaria “não conectado, ou não conexão” e variações) de alguns sentimentos e essa desconexão era causada por não ter pessoas na minha vida que realmente poderiam me entender essencialmente. Então , para “concertar” essa solidão, era só concertar a desconexão. Logo, passei alguns anos de minha vida procurando pessoas que realmente poderiam me entender. Porém, quando eu achei uma porção de pessoas que eu achei que poderiam me entender ou que pareciam o fazer , eu ainda me senti só.

Deve ter levado um tempão , pra eu talvez achar que,  nós não se sentimos sós por causa dessa disconectivadade. Nós nos sentimos sós, porque criamos o habito de estar sozinhos. Nós podemos estar sozinhos enquanto estamos envolto de pessoas. Porém, estar sozinhos faz com que não nos conectemos com aqueles envolta de nós , e não o reverso condicional.

Eu estava tentando resolver o problema errado. Eu estava trabalhando na desconexão e não no que me deixava só.

Como ficamos sós

Estar sozinho vem de separar nossa pessoa dos outros. Não é sobre ficar um tempo sozinho pra relaxar. É a diferença entre : “Estou só” pra “Eu preciso de um tempo só.”

Os introvertidos podem gastar um tempo sozinho em uma livraria lotada cheia de estranhos. Estar sozinho vem de um estado de separação emocional. É a parede que colocamos entre nós e o externo. Podemos fazer isso ao ter a presença física de outra pessoa ou tendo pessoas em nossas vidas. Pessoas que tem muitos amigos ainda podem se sentir sozinhas.

O dicionario mais próximo aqui dá 2 definições justas para sozinho.

  1. separado dos outros: Eu quero ficar sozinho
  2. excluído de alguma pessoa ou qualquer outra coisa : ela está sozinha, apenas ela sabe o porquê

As pessoas que se sentem mais sozinhas constantemente tem atitudes e tomam ações que as separam do externo, excluem a si mesmos ou as mantém indiferentes a outrem.

Parte I: Separação Intencional (Nós-vs-Eles Mental)

Para ver como nos separamos, primeiro temos que analisar a forma como nos reunimos.

Comumente, amizades começam a partir de interesses. Nós falamos com alguém. Eles falam alguma coisa interessante e temos uma conversa sobre isso. No entanto, interesses comuns não criam laços duradouros. Caso contrário, se tornaríamos amigo de todos com quem tivemos uma boa conversa. Interesses semelhantes, como base para a amizade não explica por que nos tornamos amigos com pessoas que têm interesses completamente diferentes do que nós.

Com o tempo, descobrimos valores e ideais comuns. No entanto, a amizade através de valores comuns e ideais não explicam por que os ateus e os devotos em sua fé se tornam amigos. Católicos não teriam amigos não-católicos, e assim vai. No mundo real, vemos exemplos de amizades entre pessoas com pontos de vista diametralmente opostos. Ao mesmo tempo, vemos formar panelinhas nas igrejas e pequenas organizações dedicadas a uma causa específica, e não é raro ter panelinhas dentro de um determinado sistema de crenças que não gostam uns dos outros.

Então, me diga, como as pessoas criam laços se interesses ou valores comuns não parecem ser o catalisador pra amizades duradouras?

Acho que as pessoas constroem conexões duradouras com os problemas comuns e assim sendo as pessoas crescem separadas quando seus problemas já não são coincidentes. É por isso que os casais, especialmente aquelas com filhos tendem a perder seus amigos ao estarem casados. Seus principais problemas tornaram-se muito diferentes. Os problemas da pessoa casada giram em torno da família e das crianças. O problema da pessoa solteira gira em torno de relações com os outros e a si mesmo.

Quando a pessoa solteira fala sobre seu ultimo desastre no amor, a pessoa casada, mesmo que subconscientemente  está pensando que resolveu esse problema. E quando o casado fala para o solteiro achar uma mulher pra viver com ele , este pensa sobre como os “problemas” de casado podem ser chatos. Eventualmente, casados e solteiros perder sua conexão, porque eles não têm problemas comuns.

Pensando sobre alguns de meus amigos, nós não ficamos amigos por causa de noites jogando Call of Duty. Isso veio depois. No principio eramos todos solitários marginais ao nosso próprio modo. Nós tínhamos um problema comum que nos unia: como fazer amigos e se relacionar com os outros, enquanto se sentindo tão “diferente”. Esse foi o problema que nos fez amigos. Ao longo dos anos, encontramos nossas próprias respostas que passou a diferentes problemas, nós aos poucos fomos crescendo separados.

Deixe duas pessoas, com valores completamente diferentes e religião em uma ilha deserta, onde eles têm que cooperar para sobreviver. Então deixe duas pessoas com os mesmos valores e interesses em comum numa festa. Que par você acha que vai formar a ligação mais forte?

Problemas nos fazem sentir sozinhos…

Parece que muitas vezes criamos problemas que nos isolam. Aqui alguns exemplos bobos:

1.Sou ligado aos meus valores muito intensamente, quase como um código de honra. E nunca abdicaria deles para ter as coisas mais facilmente ou me envolver com alguem.

Tradução : Algumas pessoas se envolvem tão facilmente com outras , e consequentemente não entendem minha necessidade de se ajudar aos meus valores pra viver plenamente.

2.Eu não consigo entender como as pessoas podem ignorar o sofrimento de todo o mundo.

Tradução: Outras pessoas são tão insensiveis ou distráidas que não conseguem entender meus problemas porque eu me sinto profundamente perturbado com os rumos que o mundo esta tendo.

3.A sociedade é tão materialista e não consigo me relacionar ou envolver com isso.

Tradução: As pessoas não conseguem entender que minha relação com espiritual é quase que necessario para o ser-humano, e quando reclamam do vazio de suas vidas renegam o caminho espiritual e correm para o material.

Quando você tem algum questionamento desses, que cobre quase grande parte do mundo, faz com que você fique sózinho pois não achará pessoas com os mesmos problemas que você.

E esse é o grande problema da perspectiva Nós-vs-Eles,  porque a quantidade de “nós” é irrelevante quando comparada ao “eles”. Fazendo com que os laços entre os “nós” fiquem muito instáveis e as vezes nem vinguem. A essência relevante disso tudo acima é, que quanto mais único for o seu problema mais dificil vai ser pra você se livrar da solidão. O que acontece é que subconscientemente nos sentimos especiais de alguma forma, por ter problemas únicos  o que de certa forma nos fecha pra o externo. Em troca do atributo especial, pagamos com o atributo solidão. Mas o que não entendemos que problemas não fazem pessoas especiais e sim resolver eles o fazem.

O fato de nos acharmos especiais com nossos problemas “únicos e grandiosos”,  não compensa o fato de nos isolarmos.

O clube do “nós” com o tempo passara a ter mais gente que o clube do “eles” (isso no nosso microcosmos). As pessoas começam tendencialmente por alguma maneira a se encontrar com seus semelhantes (na questões dos problemas) e mentalmente , ainda começamos a ver que vamos perder a nossa atribuição de especial , o que fazemos então? Criamos regras mentais  e nos fechamos mais e mais das outras pessoas. Pode parecer complexo, e é , mas é justamente o que a maioria de nós fazemos.

Assim sendo, encontrar mais pessoas para criar laços parece sair de nosso controle, porque automaticamente as jogamos para a coluna do “eles” e esperamos que elas mudem suas essências para irem pra coluna do “nós”. O problema é que ninguém quer ter que provar alguma coisa afim de se tornar amigo. Nós acabamos esperando e esperando…

Perspectiva Nós-vs-Eles Limita Oportunidades

As pessoas mais bem sucedidas no mundo convivem com a maior variedade de tipos de pessoas possíveis  E isso não necessariamente significa gostar de todos, mas sim, eles interagem com todos.

É incrivelmente dificil interagir com alguém que nós vemos como inferior. É isso que uma pessoa com perspectiva  “Nós-vs-Eles” mentalmente cultiva. Tendencialmente ignoram o “Eles” e algumas vezes abertamente os odeiam.

Porém, é a partir do “Eles” que a maioria das oportunidades pra qualquer coisa aparece  Desde que já andemos no mesmo circulo que o pessoal que botamos no “nós” , qualquer oportunidade que eles tenham, nós temos. Got? Logo , qualquer outra possibilidade de qualquer coisa vem do “Eles”. Aquele trabalho que você sempre quis, aquele escritor famoso que você sempre quis conhecer : provavelmente só vai vir a partir do “Eles” .

Faz com que demore mais pra resolver problemas

Se nós vermos nossos problemas como totalmente únicos  então a gente não pode seguir conselho de outros. Nós sentimos que esses concelhos não podem ser aplicados. De certa forma, todos que conhecermos que tem os mesmos problemas “únicos” vão parecer presos, travados neles. A mente nos força a tentar solucionar os problemas por tentativa e erro, e tentativa e erro gasta muito tempo.

Estar nessa perspectiva

Esse estado mental, gradualmente se desenvolve nas pessoas. Aqui algumas características :

1. Todo mundo está tentando conseguir o melhor que pode.

Ninguém quer comprometer os seus valores. Ninguém quer trabalhar em um emprego que não gosta, a fim de pagar o aluguel. Todo mundo se sente um pouco isolado em sua própria maneira. Todo mundo faz o que pode para sobreviver, evitando fazer coisas que os fazem se sentir mal sobre si mesmo na parte da manhã.

2. Meu jeito de ser feliz é apenas a minha maneira de ser feliz.

Eu não sou um brinquedo. Eu gosto de brincar com brinquedos , mas acho que a manutenção destes é inconveniente. Eu tenho amigos que adoram seus brinquedos. E eu sou grato a eles por compartilhar seus brinquedos quando estamos juntos. Eu tenho todos os benefícios e nenhum problema (de ter que fazer manutenção e afins). Eles estão tão felizes adquirindo brinquedos. E eu estou tão feliz brincando com os brinquedos deles. Eu não estou em nenhuma posição pra julgar qual lado é melhor.

Não existe um jeito certo de ser feliz. Não existe isso de uma coisa causar maior felicidade que outra. Só porque alguém esta fazendo algo que deixaria-nos infeliz e incompleto não significa que estes estejam assim.

As pessoas atuam geralmente na sociedade de forma muito materialista e patética , sei la, muito outras coisas também. Existe uma citação de Israel Salanter : “A maioria dos homens se preocupa somente com suas crenças e com a alma das outras pessoas, quando na verdade, deveriam estar preocupadas com seus próprias almas e a crença das outras pessoas.”

3. Todo mundo é especial

O objetivo de encontrar e relacionar-se com pessoas é descobrir o que faz cada um tão especial. Para mim, todos são como uma caixa de sucrilhos gigante com um brinquedo no fundo. A diversão é ir cavando para o premio.

Conexão

Tanto os problemas ordinários da minha vida,  como alguns mais profundos, são o link que me linka a algumas pessoas na minha vida. Elas compartilham os mesmos problemas que eu. Mas não estamos juntos para falar deles porque esse não é o ponto de nossas relações. Outras pessoas não estão na aqui para resolver nossos problemas.

Nós ficamos juntos para aproveitar a companhia de pessoas que compartilham e entendem nossos problemas diários e querem ficar longe deles nem que seja um pouco de tempo. A companhia de amigos é nossa recompensa por tentar solucionar nossos problemas. Nós falamos sobre livros ou filmes. Nós relembramos, temos nostalgias.  Falamos sobre outros relacionamentos e metas. Mas no fim, nós percebemos que todos temos que voltar para nossos problemas. E quando partimos, eu silenciosamente desejo a cada um de meus amigos toda sorte e boa esperança, e espero reencontrá-los de novo em breve, algum dia, alguma hora.

E é assim que eu acho que me sinto conectado…

—————————————————————————————————-

Esse post foi escrito num momento de tormenta mental e de poucas alegrias. Está claramente confuso e totalmente desorganizado. Alguns acharam que estou insano, que é provavelmente verdade. Mas espero que captem a essencia de tudo que eu disse, isto é , se eu disse alguma coisa.

Aos meus amigos, aquele abraço…

Sobre AA

"Não sou tão careta quanto pareço. Nem tão culto. Não acredite em nada do que eu escrever. Acredite em você mesmo e no seu coração."
Esse post foi publicado em Filosofia, Psicologia, Vida e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Por que nos sentimos sós – PI

  1. Gabriela disse:

    Nossa, eu amei! Você escreve muito bem, nem desconfiava. rs

  2. priscila disse:

    Esse post foi lido num momento de tormenta mental e de poucas alegrias. Estou claramente confusa e totalmente desorganizada. Alguns acham que estou insana, que é provavelmente verdade. Mas captei a essencia de tudo que vpcê disse, isto é , VOCÊ DISSE muitas coisas.

  3. Pingback: Por que nos sentimos sós – PII « The World Is Garbage!

  4. Leonardo disse:

    DeSouza, realmente, em alguns momentos a forma com que escreve é um pouco confusa, não sou nenhum crítico literário, me perdoe se estou passando esta impressão. Já li muitos posts, muito bem escritos sobre o tema solidão ( Porque eu me sinto igual a você ) e, nenhum chegou aos pés no quesito conteúdo. Me identifiquei M U I T O com o que escreveu, me refiro a clareza de pensamentos…Parabéns amigo, espero poder ler mais posts seus, grande abraço!!! Léo…

  5. Nina disse:

    Tudo verdade isso qe falou. Muito interessante

  6. Pingback: Sobre a Felicidade | The World Is Garbage!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s