Survivor’s Outflow

O que você considerou uma vez verdadeiro, mas posterior você descobriu que era falso?

É definitivamente não existem verdades absolutas, assim como não existem fatos eternos.

E quando todos os bons fatos fogem da sua vida e se tornam mais projeções da sua sombra, o que você faz?

Eu não sei, mas definitivamente aquele vazio triste ocupa meu ego, apesar de já ter experimentado disso constantemente em diversas fases da minha curta e inútil vida eu incrivelmente não consegui aprender a controlar .

Se eu falar que eu estou triste, as pessoas falaram que eu deveria estar feliz pois tenho uma vida melhor que a de muitos no mundo, mas esse argumento é totalmente invalido. Você pode ter uma boa vida e estar profundamente triste mesmo assim, a tristeza é cria psicológica e não material. Além do que, é um atributo individual, é única em essência.

2010 foi um ano interessante quando visto de cima, conheci pessoas novas, uma gama de conhecimento colossal entrou no meu cérebro, me auto-desenvolvi de maneira eficiente e chata.

Essencialmente 2010 foi um ano que eu diria que foi em grande parte chato. Mas não posso dizer isso, foi o ano que eu vivi os momentos mais intensos e felizes da minha vida.

Mas , como uma tsunami de vento que passou destruindo tudo, 2011 em seu pouco tempo, matou tudo e tudo e tudo.

Apesar de já haver prevido a tsunami apocalíptica, eu neguei a informação e quando ela começou a destruir as primeiras casas da minha vila psico-mental eu senti como se cada momento fosse ao mesmo tempo um tiro na cabeça e outro no coração.

Me diz qual a probabilidade de uma pessoa a frente da tsunami sobreviver a ela?

Sim, muito baixa, e assim foi, tudo que eu havia construído na minha vila retornando ao nada, desmoronando e desmoronando.

E no fim, andando sobre os destroços vejo coisas que eu não via a muito tempo, que eu tinha guardado la no fundo da minha alma.

Eu literalmente me perdi.

Aquele sentimento de vazio interior horrível, um monte de destroços e eu.

Olhando para o lixo, eu me perguntei por que eu me comportava daquela maneira.

Sentado numa pedra na minha praia mental, conclui que talvez a resposta não estivesse na vida, e sim fora dela.

Após desistir de entender porque eu me comportava de maneira x,  com a mais pura tristeza no coração, eu senti que a melhor coisa que eu podia fazer era acabar com tudo, e assim foi.

Me coloquei a limpar os destroços da minha vila mental, e enquanto tentava acabar com tudo, guardava alguns resquícios no cantinho, para depois dar uma olhada.

Realmente tinha coisas que eu não consigo deixar. Tem coisas que eu não consigo e não posso deixar para o nada.

Após muito sufoco , reconstruí tudo. E prossegui com minha vida.

Valores antigos voltaram, e alguns outros morreram.

Mas desde então fica um buraco, um buraco de matéria vazia, que gradualmente tem crescido.

É meu mundo está acabando.

Perdi quase tudo que importava pra mim no cosmos global.

E isso é tudo.

Todas as conclusão e pensamentos  tirado aqui foram providos de um sonho lúcido que tive ante-ontem ao tentar traças novas metas para a minha vida.

Queria agraçadeçer minha unica ponta de alegria desses ultimo dias ao mestre  Bertrand Russell , por ser um dos melhores seres humanos no ramo da matemática que ja existiu.

Sobre AA

"Não sou tão careta quanto pareço. Nem tão culto. Não acredite em nada do que eu escrever. Acredite em você mesmo e no seu coração."
Esse post foi publicado em Vida. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s