Arquetipos Projetados , Os Personagens Literários e a Inserção Mental de Valores Na Formação do Individuo

As pessoas… bem, as pessoas. As Pessoas são formadas de um corpo, uma alma, e de quatro fenomenos psiquicos: pensamento, sentimento, sensação e intuição (em conjunto, resulta em mente.).

A coisa bonita disso tudo,é que a alma, que é o painel de regras de nossos sistemas psiquicos, é mutavel. E como tendencia , ela tende à sofrer um processo chamado Individuação, ou auto desenvolvimento. Individuação significa tornar-se um ser único, homogêneo. Na medida em que por individualidade entendemos nossa singularidade mais íntima, última e incomparável, significando também que nos tornamos o nosso próprio si mesmo. Pode-se traduzir Individuação como tornar-se si mesmo, ou realização do si mesmo.

Individuação é um processo de desenvolvimento da totalidade e, portanto, de movimento em direção a uma maior liberdade. Isto inclui o desenvolvimento do eixo Ego-Self, além da integração de várias partes da psique: Ego, Persona, Sombra, Anima ou Animus e outros Arquétipos inconscientes. Quando tornam-se individuados, esses Arquétipos expressam-se de maneiras mais sutis e complexas.
Quanto mais conscientes nos tornamos de nós mesmos através do auto conhecimento, tanto mais se reduzirá a camada do inconsciente pessoal que recobre o inconsciente coletivo. Desta forma, sai emergindo uma consciência livre do mundo mesquinho, suscetível e pessoal do Eu, aberta para a livre participação de um mundo mais amplo de interesses objetivos.

No mundo globalizado de hoje, uma maneira muito significativa no qual nos auto desenvolvemos é atravéz de personagens. Sabe, as vezes quando vemos uma série, um filme ou um programa de TV, nós gostamos tanto de um dos seus personagens, que passamos a “aprender” com ele, seguimos sua filosofia, tomamos seus ideais e os usamos como nossos.

O que ocorre é que por algum motivo, subconscientemente você se identifica com esse personagem inventado, e sua alma, seu papel de regras sobre seu comportamento muda, assim como sua visão geral das coisas. O que aconteceu, basicamente e literalmente, foi um escritor que desenvolveu um personagem e o imbuiu com um pensamento, e agora ele o inseriu na sua mente e você adotou como comportamento, filosofia, ideal, enfim.

Isso é mais comum do que pareçe, comigo, por exemplo, conheci um personagem que me fez contestar diversos problemas inconcientes do mundo e pensar sobre eles e minha relação com eles, que resultou num processo de individuação.

Costuma acontecer também, de vermos uma serie e nos identificarmos muito com o personagem, ele disperta sensores subconcientes da nossa psique e vuala, nos apaixonamos, parece que aquele personagem é você, quando na verdade é só um arquétipo seu , projetado sobre uma imagem literária.

Justo que por isso, quando discutimos qual nosso personagem preferido no contexto X, nossas opniões vão divergir, quase sempre.

Podemos de certa forma, dizer que a inserção (proposta no filme Inception)  é “viavel” , mesmo que seja conceitualmente, pois podemos dizer que tudo que está escrito aqui é porque ja existe algo biologico ou mental que nos predisponha a nos identificar com isso tudo (mais aceitar isso é praticamente negar a liberdade e assumir nossa limitação do destino e viver em conformidade, logo não).

A parte triste é que nen todo mundo completa siquer 10% do processo de individuação em toda sua vida, enquanto pocos conseguem completa-lo ou te-lo em maior evidencia (85%) , é por isso que na sociedade global, existem poucos herois / pessoas gloriosas / pessoas que deixam marcas na sociedade. E o que vemos que cada vez mais essas pessoas desapareçem.

Arquétipos como a Sombra, tendem a ser projetados em uma pessoa ou objeto que representa nosso caos para nós (ver post. Arquétipos Junguianos), logo, eu concordo que projetamos arquétipos nossos em personagens, por isso que ele se guarda inconcientemente na sua alma e seus valores se tornam morais de você também.

Logo por analogia, podemos dizer que o ser humano, em sua essencia e individualidade, pode ter seus valores morais absorvidos de seus idolos, seja eles sendo representados por personagens de desenho ou um filme.

Até a proxima, farei updates aqui.

 

Sobre AA

"Não sou tão careta quanto pareço. Nem tão culto. Não acredite em nada do que eu escrever. Acredite em você mesmo e no seu coração."
Esse post foi publicado em Psicologia e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s